CAPÍTULO DE LIVROS

A publicação de livros acadêmicos é de grande relevância para a disseminação da produção científica brasileira. Além de difundir os esforços de pesquisa junto ao meio acadêmico e sociedade, é também uma importante forma de valorizar o trabalho do pesquisador.

Com o intuito de atuar continuamente na promoção do conhecimento acadêmico, a Gradus Editora possui um projeto de publicações organizadas onde pesquisadores de todo o Brasil, podem participar publicando capítulos em livros de diversas linhas temáticas. O livro pode ser único ou fazer parte de uma série ou coleção específica dentro de uma mesma área ou linha temática. Confira abaixo mais informações sobre o projeto:

Chamadas recebendo capítulos:

Residência Pedagógica: Contratempos e perspectivas no ensino de Língua Portuguesa

Organização:  Me. Jancen Sérgio Lima de Oliveira - Lattes


Este livro versa sobre os desafios, perspectivas, relatos de experiências e pesquisas desenvolvidas no âmbito do programa Residência Pedagógica, especificamente na área de Língua Portuguesa. Por conseguinte, serão aceitos capítulos oriundos de artigos de pesquisa, análise linguística, estudos de caso, pesquisa-ação, relatos de experiência e pesquisas afins que tenham sido realizadas no âmbito da Residência Pedagógica, com ênfase no ensino de Língua Portuguesa.

Público-alvo: Graduandos e Graduados em Letras – Língua Portuguesa; Pós-graduandos em Letras (Linguística ou Literatura).

Clique aqui para participar

INSCRIÇÕES ATÉ 10/08/2020

FORMAÇÃO DO PROFESSOR – livro didático nas práticas pedagógicas de língua materna

Organizador: Me. Anderson Ribeiro

Resumo: Nas aulas de linguagem, o livro didático (LD) ganhou espaço assegurado e de grande autoridade. Polêmico e dotado de ideologia, o LD veio suprir lacuna de parte do professorado. Tornou-se, com o tempo, um dos mais poderosos instrumentos/estratégias de ensino-aprendizagem, a ponto de o professor não necessitar, a partir da década de 70, de preparar suas aulas e atividades. Nessa trajetória, há erros e acertos. O LD passou a refletir, ainda que indiretamente, a mentalidade linguística em voga. Teve-se, assim, reflexo da gramática tradicional, da linguística estruturalista com os conhecidos volumes de Comunicação e Expressão, das inovações da linguística do texto, das análises do discurso e da pragmática. Na virada discursiva do século XX para o XXI, os LDs foram convidados a seguir os rumos dos Parâmetros Curriculares Nacionais (BRASIL, 1997), das Diretrizes Curriculares Nacionais (2010) e da Base Nacional Comum Curricular (BNCC, 2017). Foi criado, nesse entremeio, em 1996, o Programa Nacional do Livro Didático (PNLD), programa do Ministério da Educação sob a responsabilidade da Secretaria de Educação Básica, com o intuito de viabilizar o acesso da obras inscritas em todo país. Se de um lado, há a questão do acesso da informação para o alunado, de outro há a questão do docente se tornar frequentemente refém do LD. Como advento da BNCC, este volume pretende rever os caminhos do LD de língua portuguesa no Brasil e analisar suas incompletudes verificadas com a ressignificação constante do conceito de linguagem, de gênero, de sequências didáticas, de análise de enunciados, da escuta, da leitura e produção oral e escrita.

Público-alvo: Convido pesquisadores de todo país. Serão aceitos trabalhos e relatos de experiência de educadores de língua materna (alunos de Iniciação Científica; pós-graduandos; pós-graduados; mestrandos; mestres; doutorandos; doutores), cujas reflexões dialoguem com o cenário contemporâneo.

INSCRIÇÕES ATÉ 20/08/2020

  • Facebook
  • Instagram