Breves considerações sobre a Cinemateca e a secretaria da cultura


Atual prédio da Cinemateca Brasileira. Fonte: Site oficial da Cinemateca.


O atual governo brasileiro parece estar extremamente empenhado na missão de trucidar a saúde mental da população, e de fato devemos reconhecer a competência em cumprir tal objetivo. É frenética a maneira como são tomadas decisões e divulgadas notícias relacionadas a ele, de modo a ser quase impossível acompanhar.

Uma delas, que se deu essa semana pouco antes do famigerado vídeo, foi a da demissão de Regina Duarte da secretaria da cultura, sendo “readaptada” para o comando da Cinemateca Brasileira em São Paulo. Não tivesse excelentíssimo presidente deliberadamente rebaixado a pasta, seria a quinta cadeira de ministério trocada somente esse ano, um recorde para a democracia brasileira. Talvez esteja ele tentado adentrar o Guinnes Book? Não sabemos, mas, em meio a loucura dos últimos dias, não descartaria essa opção.

O caso de Regina foi encarado com humor para algumas pessoas, apontado como um rebaixamento. Sim, o bom humor pode ajudar a sobreviver as fortes investidas governamentais para destruir nosso psicológico (ah! Quem dera se tais esforços se dessem também para conter o Coronavírus!), mas o caso aqui é sério. Não pretendo em alongar dessa vez, será uma coluna curta, mas dividiremos a análise em duas partes:

1 – A crise na Cinemateca:

A Cinemateca brasileira vem sofrendo perda de acervos devido a falta de orçamento já há muitos anos. Desde de 2013, com a então ministra Marta Sucplicy exonerou o então dirigente Carlos Magalhães e vetou o repasse de verbas ao SAC (Sociedade Amigos da Cinemateca). De lá para cá, o local foi vítima de um incêndio em 2016 e uma enchente em fevereiro desse ano, danificando parte considerável do acervo.

Mas o que diabos têm de tão importante nesse lugar? Simplesmente grande parte do acervo audiovisual brasileiro, desde a obra de mestres como Glauber Rocha e Mário Peixoto, até uma década inteira de filmes das chamadas pornochanchadas (deixo aqui a recomendação do ótimo documentário, que foi tema do meu TCC, Histórias que nosso cinema (não) contava, disponível gratuitamente no Netflix). A instituição é a guardiã da memória e da história do nosso riquíssimo cinema.

Como apontado em matéria do portal G1:

“Ela guarda mais dede 250 mil rolos de filmes e mais de um milhão de documentos relacionados ao cinema, como fotos, roteiros, cartazes e livros, entre outros. Segundo a instituição, é o maior acervo de imagens em movimento da América Latina”.

Como historiador, pesquisador de cinema brasileiro, e apreciador de nossa cultura, temo pelo futuro desse acervo. Se, com Olga Futemma, experiente, mestre em cinema e respeitada, a situação já era crítica, o que esperar do futuro com uma pessoa aloprada, incompetente e aparentemente desprovida de capacidades intelectuais, como Regina Duarte?

2 – A secretaria da cultura:

E o outro lado da moeda? A secretaria da cultura está com vagas abertas, e isso também é preocupante. Depois de um nazista e uma ex-atriz exaltadora de militares, o que esperar do futuro?

Tendo em vista o guru intelectual do governo, o tal "filosofo" que não sabe nada de filosofia, com seu anti-cientificismo; seu total desconhecimento cultural, histórico, filosófico, sociológico e artístico; e sua mentalidade medieval (me desculpem homens medievais, por esse crime historiográfico cometido agora), a perspectiva não é nada motivadora. Ao contrário, esperemos e nos preparemos sempre para o pior.


Desculpem o pessimismo, na próxima prometo (tentar) voltar com as análises habituais.


Filmografia citada:

Histórias que nosso cinema (não) contava. Direção: Fernanda Pessoa. Produção: Fernanda Pessoa e Alice Riff. Brasil: Pessoa Produções/Boulevard Filmes, c2017.


Referencias e matérias sobre a Cinemateca:

Site oficial da Cinemateca: http://cinemateca.org.br.

Carta que pede socorro a Cinemateca já tem mais de 10 mil assinaturas. Colunas Folha – Mônica Bergamo, 21/05/2020. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/colunas/monicabergamo/2020/05/carta-que-pede-socorro-a-cinemateca-ja-tem-mais-de-10-mil-assinaturas.shtml>. Acesso em: 24/05/2020.

Cinemateca Brasileira: o que é a instituição que será coordenada por Regina Duarte. Portal G1, 20/05/2020. Disponível em: <https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2020/05/20/cinemateca-brasileira-o-que-e-a-instituicao-que-sera-coordenada-por-regina-duarte.ghtml>. Acesso em: 24/-5/2020.

Cinemateca, para onde Bolsonaro quer enviar Regina Duarte, teve 113 mil DVDs danificados em enchente neste ano. Juliana Gragnani, BBC News / Terra, 21/05/2020. Disponível em: <https://www.terra.com.br/noticias/brasil/cinemateca-para-onde-bolsonaro-quer-enviar-regina-duarte-teve-113-mil-dvds-danificados-em-enchente-neste-ano,a57e25fbf68625179fb10b49f0b5f84aqplmpmdt.html>. Acesso em 24/05/2020.

Regina Duarte vai substituir Olga Futemma, mestre em cinema com 36 anos na Cinemateca. Revista Fórum, 21/05/2020. Disponível em: <https://revistaforum.com.br/cultura/regina-duarte-vai-substituir-olga-futemma-mestre-em-cinema-com-36-anos-na-cinemateca/>. Acesso em: 24/05/2020.

0 visualização
  • Facebook
  • Instagram